Data: 06/02/2017
Mês: Fevereiro
Ano: 2017
Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no Economic Survey de Portugal divulgado hoje, Portugal deverá registar uma taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,2% em 2016 e 2017 e de 1,3% em 2018. Relativamente à taxa de desemprego, a OCDE prevê que seja de 11,0% em 2016 e 10,1% em 2017 e 2018. Quanto à balança corrente (em percentagem do PIB), estima que registe um superavit de 0,1% em 2016, de 0,5% em 2017 e de 0,7% em 2018.
 
Relativamente às finanças públicas, Portugal deverá registar um défice orçamental de 2,5% do PIB em 2016, de 2,1% do PIB em 2017 e de 1,9% em 2018. Quanto à dívida pública, esta deverá registar 130,2% do PIB em 2016, 129,5% em 2017 e 128,2% em 2018.

i024362

                                                                      (Tabela: OCDE)

Na análise que faz da economia portuguesa a OCDE refere a importância da vasta agenda de reformas estruturais que apoiou a recuperação dos últimos anos e a redução contínua dos desequilíbrios acumulados no passado. A OCDE recomenda um aumento do investimento para o reforço da redução destes desequilíbrios económicos e para um sector exportador mais forte, que deverá passar por incentivos para novos investimentos como melhorias na eficiência judicial, reforma administrativa, reformas na regulação do mercado do produto ou custos do trabalho mais baixos. Acrescenta que a remoção de crédito em risco dos balanços dos bancos aumentaria a capacidade deste setor de conceder novos créditos às empresas. Resolver os estrangulamentos nos processos de insolvência e abrir novas fontes de financiamento também impulsionaria o investimento do sector privado.

A OCDE defende ainda a importância de Portugal continuar a aumentar o nível de qualificações da mão-de-obra menos qualificada.

 

Documento Original PDF