Data: 20/01/2021
Mês: Janeiro
Ano: 2021

Segundo o Banco de Portugal, até novembro de 2020, o saldo conjunto da balança corrente e de capital situou-se próximo do equilíbrio, tendo registado um pequeno excedente de 5 milhões de euros, o que compara com o excedente de 1783 milhões de euros em igual período de 2019.

Os excedentes observados nas balanças de serviços, rendimento secundário e de capital, até novembro, foram praticamente anulados pelos défices da balança de bens e de rendimento primário.

Até novembro, as exportações de bens e serviços decresceram 20,9% (9,9% nos bens e 39,1% nos serviços) e as importações diminuíram 16,8% (14,9% nos bens e 24,7% nos serviços). Neste período, o défice da balança de bens diminuiu 5000 milhões de euros face ao período homólogo, fixando-se em 10341 milhões de euros. Contudo, o excedente da balança de serviços reduziu-se em 8727 milhões de euros, para 7586 milhões de euros. Esta redução foi maioritariamente justificada pelo decréscimo acentuado do saldo da rubrica viagens e turismo, de 7610 milhões de euros.

Em novembro, as exportações e as importações de bens e serviços registaram decréscimos homólogos de 9,0% (decréscimos de 0,7% nos bens e de 27,6% nos serviços) e 10,5% (decréscimos de 7,8% nos bens e de 22,3% nos serviços) respetivamente. Destacou-se a redução do saldo das viagens e turismo em 366 milhões de euros, resultante de decréscimos de 55,0% nos créditos e de 47,0% nos débitos.

Entre janeiro e novembro de 2020, o défice da balança de rendimento primário reduziu-se 1946 milhões de euros relativamente ao período homólogo, para 2657 milhões de euros. A diminuição do défice foi, em grande medida, justificada pela redução do pagamento de rendimentos de investimento a entidades não residentes. O excedente da balança de rendimento secundário decresceu 242 milhões de euros, devido sobretudo à evolução das transferências correntes. Por seu turno, o saldo da balança de capital cresceu 244 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior, em resultado, principalmente, de um aumento dos recebimentos de fundos comunitários.

 

90

 

91

(Gráficos: Banco de Portugal)

 

Até novembro de 2020, o saldo da balança financeira registou um aumento dos ativos líquidos de Portugal face ao exterior no valor de 641 milhões de euros. Esta subida deveu-se ao contributo positivo dos bancos portugueses, caracterizado por um aumento de ativos, através do investimento em títulos de dívida emitidos por estados-membros da União Monetária, e por uma redução de passivos, através da diminuição de depósitos de não residentes. Em sentido contrário, verificou-se um aumento de passivos do Banco de Portugal junto do Eurosistema e do investimento de não residentes em obrigações do tesouro portuguesas, assim como em títulos emitidos por empresas portuguesas.

 

92

(Gráfico: Banco de Portugal)

 

Documento PDF