Data: 27/01/2011
Ano: 2011
De acordo com os resultados do inquérito realizado em Janeiro de 2011 aos cinco grupos bancários portugueses incluídos na amostra, os critérios de concessão de empréstimos às sociedades não financeiras tornaram-se consideravelmente mais restritivos no quarto trimestre de 2010. O aumento do grau de restritividade face ao trimestre anterior terá sido particularmente intenso no segmento dos empréstimos a grandes empresas e nos empréstimos a longo prazo. No caso dos particulares, o aumento da restritividade foi menor, não existindo diferenças assinaláveis entre o segmento da habitação e do consumo. 

Na análise dos factores que mais contribuíram para o aumento da restritividade das respectivas políticas de concessão de crédito destaca-se a importância dada à deterioração das expectativas quanto à actividade económica em geral e a deterioração das condições de financiamento e restrições de balanço, bem como da posição de liquidez dos bancos. A adopção de critérios mais restritivos ter-se-á traduzido, sobretudo, em spreads mais elevados, tanto nos empréstimos de médio como de alto risco e, pontualmente, no aumento da exigência de outras condições contratuais. 

Para o primeiro trimestre de 2011, os bancos prevêem a adopção de critérios ligeiramente mais restritivos em todos os segmentos, em especial para a aprovação de empréstimos a longo prazo a empresas. No que respeita à procura, os bancos inquiridos antecipam uma ligeira diminuição em todos os segmentos, relativamente mais pronunciada no crédito à habitação. 

Documento Original PDF