Data: 02-03-2022
Autor(es): Eugénia Pereira da Costa e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2022

No âmbito das atividades desenvolvidas pelo GEE na área de Inovação, I&D e Empreendedorismo, divulgamos hoje o seguinte conjunto de três trabalhos:
• Edição de 2021 da Ficha de Competitividade, com análise gráfica dos principais indicadores, bem como síntese das medidas de política pública;
• 1.ª edição do Painel das atividades de Inovação e I&D, com foco nas empresas;
• 1.ª edição da Base de dados para sistematização de indicadores.

 

Ficha de Competitividade sobre Inovação, I&D e Empreendedorismo

A globalização dos mercados, associada a um elevado ritmo de mudança tecnológica, exige às empresas uma adaptação rápida por forma a manterem a sua competitividade no contexto macroeconómico em que se inserem. A competitividade, por sua vez, pressupõe que as empresas sejam eficientes e gerem resultados, iguais ou superiores aos dos concorrentes, na satisfação das necessidades e expetativas dos seus clientes e de outros agentes económicos. Assim, uma resposta eficaz à volatilidade do mercado é determinante para a sobrevivência das empresas e exige, cada vez mais, que sejam inovadoras tanto na criação e desenvolvimento, como na produção e colocação no mercado de produtos e/ou serviços, novos ou melhorados, o que requer, a priori, Investigação e Desenvolvimento (I&D), nas diferentes vertentes da sua atividade. Por outro lado, a capacidade das empresas para inovar por si só não basta, sendo de igual modo imprescindível estas apresentarem um perfil empreendedor para transformar as inovações em negócios rentáveis.

O ano de 2021, à semelhança do ano anterior, foi marcado pela pandemia de Covid-19 e os seus múltiplos efeitos, designadamente ao nível da atividade económica. Um desses efeitos foi o incremento da utilização de algumas ferramentas digitais (por exemplo, as relativas ao comércio online, ao teletrabalho e às plataformas de interação coletiva). No entanto, a disponibilização de informação estatística pelas instituições competentes apresenta um desfasamento temporal face às ocorrências que relata. Por essa razão, esta Ficha não reflete, senão muito pontualmente, os efeitos da pandemia nas atividades em análise e optou-se por manter a estrutura da edição anual anterior, organizando-se em três capítulos – (1) Inovação e I&D; (2) Economia Digital; e (3) Empreendedorismo - que visam dar conta das principais dinâmicas e políticas públicas nestas áreas.

GEE_FC_Inovacao_ID_Empreendedorismo.pdf

 

Painel das Atividades de Inovação e I&D nas Empresas

Esta publicação apresenta uma seleção de indicadores sobre atividades de Investigação e Desenvolvimento (I&D) e de Inovação, realizadas em Portugal pelo Setor Empresarial, incluindo referência às principais políticas públicas e informação conceptual. Uma das grandes prioridades das políticas públicas em Portugal tem sido aumentar a competitividade e a resiliência da economia portuguesa, com base na incorporação de conhecimento, através da I&D e da inovação, na diversificação e na especialização da estrutura produtiva. Neste âmbito, este painel apresenta uma seleção de políticas públicas implementadas em 2020/2021.

GEE_Painel_Inovação e ID_Empresas.pdf

 

Base de Dados de informação sobre Inovação, I&D e Empreendedorismo

Em três ficheiros em formato “excel”, esta Base de Dados inclui dados sobre Inovação nas Empresas, Despesa e Recursos Humanos em atividades de I&D nas Empresas, Demografia das Empresas, Empresas de elevado Crescimento e Principais Indicadores Económicos das Empresas em Portugal. A informação disponibilizada inclui ainda referência aos principais conceitos subjacentes.

GEE_BD_Inovacao.xlsx

GEE_BD_ID.xlsx

GEE_BD_Empreendedorismo.xlsx



Data: 18-02-2022
Autor(es): Eva Pereira, Rita Tavares da Silva e Teresa Rebelo
Ano: 2022

O acesso ao financiamento é um dos fatores determinantes para assegurar a competitividade das empresas e, portanto, uma dimensão relevante para a competitividade da economia portuguesa. A menor capacidade de acesso ao financiamento poderá condicionar as oportunidades de investimento empresarial, sendo que o custo elevado do financiamento impacta na menor capacidade de praticar preços competitivos e na contratação de recursos humanos.

Esta publicação tem como objetivo acompanhar os principais fatores críticos do financiamento e investimento enquanto dimensão relevante de competitividade da economia portuguesa, de forma complementar à publicação mensal do “Painel sobre crédito, endividamento e investimento das empresas”, com comparações internacionais e incluindo um conjunto de medidas de política relevantes para os problemas identificados.

 

GEE_FC_Financiamento_Endividamento_Investimento_2021.pdf

 

 

Data: 10-02-2022
Autor(es): Carla Ferreira e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2022

O mercado de trabalho e os recursos humanos existentes numa economia são determinantes para o seu nível de desempenho e de produtividade. A presente Ficha de Competitividade apresenta uma síntese dos principais indicadores e políticas dentro de cinco drivers (linhas orientadoras): (i) Capacitação dos Recursos Humanos, (ii) Remunerações, (iii) Mercado de trabalho, (iv) Emprego e Desemprego e (iv) Políticas de Emprego. Embora diversos indicadores já reflitam o impacto da pandemia da Covid-19, permitindo observar as primeiras alterações entre a situação de pré-pandemia e a situação de pandemia, em alguns indicadores apenas nas próximas edições do presente documento poderemos observar o impacto verificado. No âmbito das políticas públicas, salienta-se a referência a áreas consideradas prioritárias.

 

GEE_FC_MercadoTrabalhoCapacitacaoRH.pdf

 

 

Data: 26-01-2022
Autor(es): Nuno Tavares e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2022

Na edição de 2021 do DESI, Portugal ocupou a 16.ª posição num conjunto de 27 estados-membros (19.ª posição na edição anterior entre 28 estados-membros).
A presente ficha tem como objetivo resumir de forma sistematizada os principais resultados relativos à competitividade digital da economia portuguesa.
A versão agora divulgada inclui algumas atualizações, com destaque para nova tabela com a lista dos cinco indicadores em que Portugal apresenta melhor e pior desempenhos face à média da UE.

 

Posição Portuguesa – Rankings Internacionais – Digital Economy and Society Index 2021 v2.pdf

Data: 11-01-2022
Autor(es): Nuno Tavares e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2022

Na edição de 2021 do DESI, Portugal ocupou a 16.ª posição num conjunto de 27 estados-membros (19.ª posição na edição anterior entre 28 estados-membros). A presente ficha tem como objetivo resumir de forma sistematizada os principais resultados relativos à competitividade digital da economia portuguesa.

 

Posição Portuguesa – Rankings Internacionais – Digital Economy and Society Index 2021.pdf

Data: 06-04-2021
Autor(es): Luís Melo Campos e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2021

O ano de 2020 foi marcado pela pandemia Covid-19 e seus múltiplos efeitos, designadamente ao nível das atividades económicas. Um desses efeitos foi o incremento da utilização de algumas ferramentas digitais (por exemplo, as relativas ao comércio online, ao teletrabalho e às plataformas de interação coletiva). No entanto, a disponibilização de informação estatística pelas instituições competentes apresenta um desfasamento temporal face às ocorrências que relata. Por essa razão, esta Ficha não reflete, senão muito pontualmente, os efeitos da pandemia nas atividades em análise e optou-se por manter a estrutura da edição anual anterior, organizando-se em quatro capítulos - Inovação e Investigação e Desenvolvimento (I&D); Economia Digital; Economia Circular; e Empreendedorismo - que visam dar conta das principais dinâmicas da economia digital e circular, assim como das políticas públicas nestas áreas.

 

Pilar de Competitividade: Inovação, I&D e Empreendedorismo

Data: 27-01-2021
Autor(es): Carla Ferreira e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2021

O mercado de trabalho e os recursos humanos existentes numa economia são determinantes para o seu nível de desempenho e de produtividade. O mercado de trabalho, traduzido na relação entre a procura de mão-de-obra pelas entidades empregadoras e a oferta pelos trabalhadores, é uma relação complexa e com a intervenção de vários atores. Neste contexto, o Estado, para além de empregador, atua no mercado através da implementação de medidas de política pública, para promoção da otimização ou correção do funcionamento, e como regulador, com o objetivo de promover a justiça e equidade nas relações laborais e a maior eficiência na capacitação e afetação de recursos.

 

CapacitacaoRH&MercadoL_20210126.pdf

Data: 27-01-2021
Autor(es): Ana Martins, Eva Pereira e Rita Tavares da Silva
Ano: 2021

O acesso ao financiamento é um dos fatores determinantes para assegurar a competitividade das empresas e, portanto, uma dimensão relevante para a competitividade da economia portuguesa. A menor capacidade de acesso ao financiamento poderá condicionar as oportunidades de investimento empresarial, sendo que o custo elevado do financiamento impacta na menor capacidade de praticar preços competitivos e na contratação de recursos humanos.

 

Financiamento__Endividamento_Investimento.pdf

Data: 21-12-2020
Autor(es): GEE
Ano: 2020

A análise apresentada na Edição especial de 2020 do Global Competitiveness Report é baseada numa metodologia que integra as últimas estatísticas provenientes de um conjunto de organizações internacionais com os dados da última edição do Executive Opinion Survey do World Economic Forum (WEF). A metodologia desenvolvida pretende avaliar a competitividade num conjunto de economias e serve de benchmark na elaboração de políticas públicas, de forma a diminuir os custos e a melhorar as condições de contexto das empresas no período da recuperação económica pós pandemia COVID-19.

A pandemia da COVID-19 acelerou os efeitos da Quarta Revolução Industrial no comércio, nas competências, na digitalização, na concorrência e no emprego. O relatório apresenta uma reflexão centrada na retoma do crescimento económico no período pós pandemia e sintetiza considerações de políticas públicas que visem um crescimento económico mais sustentável e mais inclusivo.

 

The Global Competitiveness Report - Special Edition 2020.pdf