Data: 04-11-2019
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2019

De acordo com estatísticas alfandegárias chinesas, constantes da base de dados do “International Trade Centre” (ITC), em 2018 as importações com origem no conjunto dos 28 países comunitários representou 12,8% do total, seguido da Coreia do Sul (9,6%), do Japão (8,4%), de Taiwan (8,3%), dos EUA (7,3%) e da própria China (6,9%), estas principalmente relativas a reimportações de produtos de origem chinesa “exportados” para Hong-Kong e reimportados através da província de Guangdong, por conveniência geográfica e logística.

 

Análise 18 19.pdf

Data: 04-11-2019
Autor(es): Eugénia Pereira da Costa e Paulo Inácio
Ano: 2019

No âmbito do programa quadro da União Europeia, o Horizonte 2020, surge o Instrumento

para as PME, ou SME Instrument, que corporiza uma nova abordagem de apoio às atividades

de inovação das micro, pequenas e médias empresas. Este instrumento pretende financiar

PME altamente inovadoras e, particularmente, jovens empreendedores com ideias de potencial

e risco elevado, com uma ambição comercial clara e um potencial de crescimento elevado e

de internacionalização. Podem candidatar-se as PME sediadas na UE ou estabelecidas num país

associado ao Horizonte 20202 .

 

Análise 17 19.pdf

 

Data: 04-11-2019
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2019

Na perspetiva de uma possível perturbação futura nas trocas comerciais portuguesas de mercadorias com o Reino Unido, em particular na vertente das exportações, será útil identificar o tipo de produtos mais importantes no passado recente que possam eventualmente vir a estar envolvidos, e acompanhar o seu comportamento.

 

Análise 16 19.pdf

 
Data: 01-10-2019
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2019

Neste trabalho vamos analisar a evolução das importações e das exportações de medicamentos e outros produtos farmacêuticos nos últimos dois anos (2017 e 2018) e 1.º semestre de 2018 e 2019, a partir de dados estatísticos do “Instituto Nacional de Estatística de Portugal”(INE), em versão definitiva para 2017 e preliminar para 2018 e 2019, com última atualização em 9-8-2019.

 

Análise 15 19.pdf

Data: 02-09-2019
Autor(es): Ana Filipa Fernandes
Ano: 2019

The importance of measure and understand productivity dynamics is on the agenda of both international and national organizations. Following one of the proposals presented in the 5 Presidents’ Report, the Council of the European Union issued a Recommendation for the euro area Member States aiming to identify or create national productivity councils to analyse
developments and policies on productivity and competitiveness, and to contribute for national promotion of the reforms needed to ensure sustainable economic growth and convergence.

 

Análise 12 19.pdf

Data: 02-09-2019
Autor(es): Mónica Simões and José Azevedo Pereira
Ano: 2019

Portuguese potential growth has been weak since early 2000s, similarly to other European countries. This trend is explained by decreasing contributions from productivity and lower levels of investment. To guarantee sustained economic growth in the future, gains in productivity and competiveness are essential. These improvements are especially important for Portugal, as they would promote a convergence of the country’s labour productivity levels to those of euro zone2.

 

Ensaio 01 19.pdf

Data: 02-09-2019
Autor(es): Rita Bessone Basto, Ana Martins, Ana Rita Mateus e Guida Nogueira
Ano: 2019

O crescimento da produtividade do trabalho tem vindo a desacelerar na última década na maioria dos países da União Europeia (UE), incluindo Portugal. Tendo em conta que Portugal regista níveis de produtividade mais baixos do que os da UE, esta desaceleração é ainda mais desfavorável ao processo de convergência à média da UE6.

 

Análise 14 19.pdf

Data: 02-09-2019
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2019

Os produtos do sector “Agroalimentar” encontram-se repartidos por um elevado número de tipos de produtos no contexto da agricultura e outros produtos alimentares e das indústrias alimentares.

 

Análise 13 19.pdf

Data: 31-07-2019
Autor(es): Ricardo Pinheiro Alves, Vanda Dores, João Ferreira, António Bob dos Santos, Sílvia Santos
Ano: 2019

A realização de Investigação & Desenvolvimento (I&D) aplicada ao mercado é essencial para a competitividade de um país, pois proporciona uma vantagem concorrencial para as empresas e maior valor acrescentado para a economia. Estas vantagens são complementadas pela existência de efeitos de alastramento positivos originados pela investigação e pelo conhecimento científico.

A relativa pequena dimensão do mercado e das empresas portuguesas, mesmo se parcialmente compensado pela aposta na internacionalização, limita a capacidade financeira para realizar os necessários investimentos em I&D e em tecnologia para melhorar processos de produção e produtos e serviços, e deste modo beneficiar do crescimento da produtividade (Jorgensson et al, 2008; Balasubramanian e Sivadasan, 2011).

 

Análise 11 19.pdf

Data: 02-07-2019
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2019

Análise 10 19