Data: 30-05-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

Utilizam-se neste trabalho dados de base constantes do Portal do Banco de Portugal, disponíveis em 28 de março de 2020.
Em termos anuais, o peso dos Serviços no total das exportações de Bens e Serviços (crédito) aumentou sustentadamente entre 2014 e 2019, de 32,8% para 37,7% (...).

 

Análise 11 20.pdf

Data: 04-05-2020
Autor(es): Nuno Tavares e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2020

O atual cenário de pandemia provocado pelo novo COVID-19 criou um cenário de disrupção económica sem paralelo no último século. Ainda que num contexto marcado por uma enorme incerteza, hoje, é praticamente dado como certo o facto da economia mundial poder entrar em recessão já no segundo trimestre do ano, sendo de esperar uma quebra significativa no crescimento do produto em 20203. Em larga medida, estas previsões refletem o impacto no normal funcionamento das economias do conjunto de medidas extremas adotadas no sentido de conter o ritmo de propagação da doença, sendo que este efeito se encontra amplificado pelo elevado grau de interdependência económica existente a nível global.

 

Análise 08 20.pdf

Data: 04-05-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

Entre outras organizações, Moçambique é um dos quinze países-membros da “Southern Africa Development Community – Comunidade de Desenvolvimento da África Austral” (SADC), organização criada em 1992 que tem entre os seus principais objetivos aprofundar a cooperação económica entre os seus membros, com base no equilíbrio, igualdade e benefícios mútuos, proporcionando um livre movimento dos fatores de produção através das fronteiras nacionais e estimular o comércio de produtos e serviços entre os países-membros: África do Sul, Angola, Botswana, Eswatini (Suazilândia), Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, Rep. Democrática do Congo, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabwe.

 

Análise 10 20.pdf

Data: 04-05-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

Pretende-se neste trabalho fazer um ponto de situação do comércio internacional de mercadorias de Portugal com o Reino Unido no limiar da saída deste país da União Europeia, visando identificar o tipo de produtos mais importantes cujas trocas possam vir a sofrer alguma perturbação. Analisa-se a evolução recente do comércio internacional de mercadorias do Reino Unido com o mundo e com Portugal, com maior pormenor entre os anos 2014 e 2019, com base em dados estatísticos britânicos constantes do portal do EUROSTAT, e as trocas comerciais de Portugal com este país a partir de dados divulgados pelo INE, também com maior detalhe entre os anos 2014 e 2019.

 

Análise 09 20.pdf

Data: 01-04-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

No período de janeiro a novembro de 2019 a Suíça pesou 0,4% nas importações totais de mercadorias de Portugal e 1,5% nas importações originárias dos países terceiros, respetivamente 1,1% e 2,1% na vertente das exportações.


Nas páginas seguintes é feita uma breve análise da evolução recente do comércio externo de Suíça, com referência às respetivas quotas de Portugal, com base em cálculos efetuados pelo “International Trade Centre” (ITC) a partir de dados “COMTRADE”, da ONU. Segue-se uma abordagem da evolução das nossas importações e exportações de 2014 a 2018 e período de janeiro a novembro de 2018-2019, agora com base em dados estatísticos divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE), definitivos para os anos de 2014 a 2017, provisórios para 2018 e preliminares para o período em análise de 2019, com última atualização em 9 de janeiro de 2020.

 

Análise 07 20.pdf

Data: 01-04-2020
Autor(es): António Lilaia, Rodolfo Carrasquinha e Tomás Andrade
Ano: 2020

Today’s world is a far more interconnected environment than it has ever been, which has facilitated the trade of goods and services across countries and continents on a scale never seen before. The process of globalization has intensified the competition between firms of different countries, as companies compete in a multitude of markets. In this context, analysing the obstacles firms face through their life cycle (such as starting the business, hiring, paying taxes or exporting) enables researchers and policy makers to better understand the differences in competitiveness between countries, as well as to pave the way for better policies for the business environment. Moreover, improvements in the environment where firms operate, in particular the reduction of framework costs, can foster economic growth and increase potential GDP, as more firms enter the market and the country becomes more attractive for direct foreign investment.

 

Análise 06 20.pdf

Data: 01-04-2020
Autor(es): Pedro Duarte Silva
Ano: 2020

 

 No primeiro trimestre de 2020, que ora termina, o mundo viu-se confrontado com uma pandemia2 global decretada pela Organização Mundial de Saúde, associada ao vírus COVID19, detetado pela primeira vez na China em novembro passado.
Em Portugal, o primeiro caso detetado data de dia 2 de março, registando-se no final do mês, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde, 7443 pessoas infetadas e 160 óbitos, sendo que a nível mundial já se registam cerca de 790 mil infetados e quase 38 mil óbitos.
Esta pandemia apresenta graves problemas sanitários, exigindo drásticas medidas de contenção, as quais se começaram a implementar em Portugal em meados do mês, com reforço jurídico a partir do decreto de Estado de Emergência no passado dia 19 de março, e que se deverão prolongar, previsivelmente, pelo menos, até meados do segundo trimestre do ano, sendo que as suas consequências económicas e sociais – dado o forte arrefecimento da atividade económica – terão efeito para além desse horizonte.

 

Análise 05 20.pdf

Data: 02-03-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

A Itália encontra-se entre os principais parceiros comerciais de Portugal, tendo sido em 2018 o quarto maior mercado de origem das importações, com 5,4% do total (5,1% nos primeiros onze meses de 2019), precedida da Espanha (31,4%), da Alemanha (13,8%) e da França (7,6%), sendo o sexto principal mercado de destino das exportações, com 4,3% do total (4,5% em 2019), depois da Espanha (25,4%), da França (12,7%&), da Alemanha (11,6%), do Reino Unido (6,3%) e dos EUA (5,0%).

 

Análise 04 20 .pdf

 

Data: 02-03-2020
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2020

Pretende-se neste trabalho analisar a evolução recente do comércio internacional português de Bens de Equipamento, com alguma desagregação do tipo de produtos envolvidos. Os Bens de Equipamento, necessários para a produção de outros tipos de bens, porque incorporam tecnologias mais sofisticadas do que os restantes, têm maior valor acrescentado, sendo importante a análise da evolução das suas exportações. Por outro lado, a evolução das importações deste tipo de bens, em particular os destinados à manutenção de máquinas e equipamentos industriais, ampliações e criação de novas indústrias ou aquisição de material de transporte adequado, está directamente relacionada com a capacidade produtiva do país, e logo também com a dinâmica das exportações.

 

Análise 03 20 .pdf

Data: 03-02-2020
Autor(es): Gabriel Osório de Barros e Nuno Tavares
Ano: 2020

As Empresas Zombie em Portugal “sobrevivem à custa de crédito concedido pelo sistema ban-cário por não conseguirem gerar receitas suficientes para concretizarem as suas atividades normais, pagam salários acima da produtividade do seu sector e são pouco inovadoras” (Barros et al., 2017).

 

Evolução da prevalência de Empresas Zombie.pdf