Data: 30-06-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

1. Nota introdutória


Neste trabalho vai-se considerar o conjunto dos produtos da Fileira Florestal agrupados em cinco componentes, designadamente “Pasta de papel, papel e cartão”, “Cortiça e suas obras”, “Madeira e suas obras”, “Mobiliário de madeira” e “Produtos químicos resinosos” (ver Anexo).
São aqui utilizados dados de base do Instituto Nacional de Estatística (INE) para os anos de 2016 a 2020, definitivos para o período de 2016 a 2019 e preliminares para 2020.

 

Comércio internacional dos produtos da Fileira Florestal (2016 a 2020).pdf

Data: 30-06-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

1. Nota introdutória


Na nomenclatura internacional de países, para efeitos estatísticos do comércio internacional, mantém –se a distinção entre China (continental) e os territórios chineses de Hong-Kong e Macau. Por este motivo, e para se estar mais perto da realidade quando se fala em importações ou exportações com a “China”, e porque há produtos com origem/destino China (continental)
que transitam através desses territórios, em particular por Hong-Kong, vamos começar por considerar como importações e exportações face à China o somatório dos dados atribuídos a cada um destes três espaços estatísticos.

 

Comércio internacional de mercadorias de Portugal com a China - 2018-2020 e.pdf

Data: 31-05-2021
Autor(es): Jena Santi, Joan Jose, Sílvia Fonte-Santa
Ano: 2021

This paper presents a survey about the effects of information and communication technologies on productivity and economic growth.
The literature suggests that information and communication technologies investment has been an important source of economic and productivity growth at the aggregate, industry and firm level.

 

The impact of ICT investments on economic growth − Literature.pdf

Data: 31-05-2021
Autor(es): Nuno Tavares
Ano: 2021

In this essay, we focus our attention into the role played by R&D as well as digitalization in labor productivity and labor productivity growth developments during the last decade. We begin by classifying firms and sectors according to their R&D intensity as laid out in Galindo- Rueda and Verger (2016). This framework allowed us to disentangle manufacturing from nonmanufacturing activities, both of which are them grouped into five different categories (high, medium-high, medium, medium- low, and low R&D intensity industries). Moreover, we rely on the structure provided by Calvino et al. (2018) to classify industries according to their level of digital intensity (high, medium-high, medium-low and low digital intensive industries).

 

Productivity in the last decade.pdf

Data: 31-05-2021
Autor(es): Conceição Nunes
Ano: 2021

“O envelhecimento populacional está prestes a tornar-se numa das transformações sociais mais significativas do século XXI, com implicações transversais a todos os setores da sociedade – no mercado laboral e financeiro; na procura de bens e serviços como a habitação, nos transportes e na proteção sociais; e nas estruturas familiares e laços intergeracionais.” (Nações Unidas)

 

O efeito orçamental do envelhecimento em Portugal.pdf

Data: 31-05-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

No presente trabalho apresentam-se indicadores de evolução em valor, volume e preço das importações e das exportações portuguesas de mercadorias calculados para o 1º Trimestre de 2021, face ao homólogo de 2020.
Para o cálculo dos índices de preço, as posições pautais a oito dígitos da Nomenclatura Combinada (NC-8), relativas às importações e às exportações de mercadorias com movimento nos dois anos, foram agregadas em 11 grupos e 38 subgrupos de produtos afins

 

Comércio internacional de mercadorias.pdf

Data: 31-05-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

Neste trabalho analisa-se a evolução recente do comércio internacional português de Bens de Equipamento, com alguma desagregação do tipo de produtos envolvidos. Os Bens de Equipamento, necessários para a produção de outros tipos de bens, incorporam tecnologias mais sofisticadas do que os restantes, lpgo com maior valor acrescentado, sendo importante a análise da evolução das suas exportações. Por sua vez, a evolução das importações deste tipo de bens, em particular os destinados à manutenção de máquinas e equipamentos
industriais, ampliações e criação de novas indústrias, está directamente relacionada com a capacidade produtiva do país, e logo também com a dinâmica das exportações.

 

Comércio Internacional de Bens de Equipamento (2019-2020).pdf

Data: 03-05-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

Neste trabalho pretende-se analisar onde incidiram os maiores acréscimos e decréscimos nas exportações portuguesas de mercadorias, por produtos e por mercados, ao longo dos dois primeiros meses de 2021, face aos meses homólogos do ano anterior. São para este efeito utilizados dados de base divulgados no portal do Instituto Nacional de Estatística (INE), em versões ainda preliminares para os dois anos, com última atualização em 9 de abril de 2021.

 

Evolução mensal das expedições globais de mercadorias para a UE.pdf

Data: 03-05-2021
Autor(es): Walter Anatole Marques
Ano: 2021

Neste trabalho, através de quadros e gráficos, analisa-se a evolução mensal do valor das expedições (designação das exportações no quadro da União Europeia) globais de mercadorias para os nossos parceiros comunitários (Reino Unido excluído), em 2019 e 2020. Em gráficos, para cada um dos 26 países parceiros, pode-se comparar a evolução do andamento destas expedições, mês a mês, ao longo destes dois anos. São para o efeito utilizados dados de base do Instituto Nacional de Estatística de Portugal (INE), definitivos para 2019 e preliminares para 2020, com última atualização em 09-04-2021.

 

Acréscimos e decréscimos das exportações.pdf

Data: 01-04-2021
Autor(es): Fátima Azevedo
Ano: 2021

Os riscos económicos associados ao clima

As alterações climáticas comportam riscos muito significativos para o desenvolvimento de longo prazo dos países. Efeitos como secas, vagas de calor, cheias e inundações estão já a provocar danos que, não raras vezes, revertem ganhos de desenvolvimento conquistados nas últimas décadas. Os efeitos das alterações climáticas têm implicações críticas na evolução da pobreza, da segurança alimentar, saúde, produtividade e qualidade de vida, pelo que urge uma agenda de transformação económica que permita satisfazer as metas do Acordo de Paris no horizonte 2030 e potenciar a ambição para alcançar a neutralidade carbónica em meados do século.

Análise 06 21.pdf