Data: 07-05-2024
Autor(es): Teresa Rebelo e Mariana Costa Santos
Ano: 2024

O Sistema de Incentivos (SI) “Agendas para a Inovação Empresarial”, financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), tem como propósito apoiar os projetos de investimento que apresentam uma aposta diferenciadora de recuperação e de transformação do perfil de especialização da economia portuguesa.

Este Tema Económico apresenta uma caracterização deste instrumento, oferecendo um detalhe da adesão, do investimento e incentivo envolvidos, bem como uma análise ao nível dos consórcios elegíveis, composição do investimento e respetiva distribuição por eixo temático, com evidência do grau de execução financeira alcançado tendo por base os consórcios contratados.

TE 123 - As Agendas Mobilizadoras do PRR como instrumento de inovação em rede: Enquadramento e ponto de situação.pdf

Vista de telhados de Lisboa
Data: 21-02-2024
Autor(es): Gonçalo Novo, Nuno Tavares e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2024

O aumento no preço da habitação e das rendas, verificado nos últimos anos, tem vindo a colocar em evidência as questões da acessibilidade à habitação, com os resultados produzidos a concentrarem-se, predominantemente, nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.
Neste trabalho, pretende-se contribuir para a discussão em curso através da disponibilização de evidências numa perspetiva regional da acessibilidade à habitação mais desagregada, evidenciando as disparidades existentes entre e nas diferentes regiões de Portugal.
Para o efeito, e com base na literatura existente, procedemos à construção de um índice de acessibilidade à habitação através do crédito (HAI - Housing Affordability Index) assente em informação nacional pública. Os resultados obtidos são complementados através de indicadores alternativos de acessibilidade baseadas em diferentes formas de acesso à habitação – aquisição e arrendamento.
Em consonância com a literatura existente, os resultados apontam para um agravamento geral da acessibilidade à habitação em Portugal e ênfase na heterogeneidade regional do fenómeno, que se manifesta em disparidades significativas nas regiões e entre regiões.
Os resultados deste estudo sublinham a necessidade de políticas de habitação que considerem as questões da acessibilidade, nas suas diversas dimensões, bem como as idiossincrasias regionais e locais relevantes nesse domínio.

 

TE 122 - Análise de indicadores de acessibilidade à habitação em Portugal: Perspetiva Regional

Mapa mundo e redes.
Data: 11-12-2023
Autor(es): Guida Nogueira, Paulo Inácio e Joana Almodovar
Ano: 2023

Exports have become an important engine of growth for the Portuguese economy in recent years. However, the COVID-19 outbreak has significantly disrupted international trade delivering an unprecedent global economic and social shock that severely impacted small open economies such as Portugal.
Post-pandemic recovery is facing considerable challenges associated with a combination of adverse shocks, leading to uneven recovery paces across countries and sectors.
This article assesses the export performance of the Portuguese economy in the aftermath of the COVID-19 crisis, with a granular breakdown of goods and services, using the EU27 as a benchmark to gain comparative insights of their recovery paths towards a more resilient economy.

TE 121 – “Portugal’s export performance in the aftermath of the pandemic crisis”

Data: 08-11-2023
Autor(es): Ana Martins e Teresa Rebelo
Ano: 2023

O Programa APOIAR é um sistema de incentivos criado no contexto da pandemia COVID-19, com o propósito de conceder apoios de liquidez às empresas com atividade principal nos setores mais afetados pelas limitações impostas como forma de conter a crise sanitária.

Este Tema Económico analisa este instrumento de apoio às empresas, apresentando uma descrição do seu racional e génese, das alterações legislativas efetuadas, bem como uma caracterização do financiamento que o suportou e dos organismos públicos envolvidos, oferecendo uma análise detalhada da evolução do APOIAR por dimensão empresarial, por setor económico, por localização geográfica e por medida de apoio do Programa.

TE 120 - APOIAR em tempos de pandemia: Balanço de um programa de apoio às empresas.pdf

Fábrica de Veículos Elétricos
Data: 21-09-2023
Autor(es): Gabriel Osório de Barros e Gonçalo Novo
Ano: 2023

O presente Tema Económico analisa a evolução e o contexto atual da mobilidade elétrica em Portugal, no contexto da União Europeia, em termos de crescimento do mercado e dos impactos socioeconómicos e ambientais. O mercado de veículos elétricos em Portugal é analisado na perspetiva da sua relevância na redução das emissões de carbono. Em termos de apoios públicos, foram analisadas iniciativas a nível nacional, da União Europeia e Estados-Membros e de outros mercados-chave (Estados Unidos da América e China), para apresentar as estratégias de incentivo à adoção de veículos elétricos. Também são considerados os desafios associados à gestão de resíduos e à reciclagem de baterias, abordando as preocupações ambientais e potenciais soluções. No que diz respeito às dependências estratégicas, o documento aborda a importância das matérias-primas e a necessidade de garantir cadeias de fornecimento estáveis. É dada uma atenção especial à infraestrutura de carregamento, analisando o seu estado atual e identificando áreas de melhoria. O impacto da crescente adoção de veículos elétricos na rede elétrica é abordado, considerando o aumento da procura e a potencial necessidade de adaptação da rede elétrica. Na perspetiva do consumidor, é explorada a perceção e aceitação dos veículos elétricos, identificando barreiras e potenciais soluções. Na conclusão, são resumidos os principais factos identificados e propostas recomendações para maximizar as oportunidades e enfrentar os desafios, enfatizando a importância da mobilidade elétrica como uma resposta vital para um futuro mais sustentável e próspero em Portugal.

TE 119 - Veículos Elétricos em Portugal - Oportunidades e Desafios Económicos e Ambientais.pdf

Data: 05-09-2023
Autor(es): Inês Póvoa e Gabriel Osório de Barros
Ano: 2023

Este Tema Económico analisa a relação entre Inteligência Artificial (IA) e a sustentabilidade, destacando o papel significativo que a IA pode ter no avanço dos objetivos de sustentabilidade na União Europeia. A IA tem o potencial de apoiar a sociedade na superação dos desafios da sustentabilidade através da sua capacidade de otimização, de reduzir o desperdício e de melhorar a tomada de decisões baseada em dados. No entanto, a implementação de IA também levanta questões éticas importantes que devem ser abordadas para garantir que o seu uso seja justo, transparente e equitativo. O estudo apresenta uma análise dos benefícios, dos desafios e das implicações éticas da aplicação da IA na sustentabilidade, propondo estratégias para maximizar os seus benefícios e mitigar potenciais riscos. Na conclusão enfatiza-se a necessidade de mudança constante e de adaptabilidade, defendendo-se que a IA pode ser uma ferramenta importante na promoção da sustentabilidade, desde que sua implementação seja guiada por padrões éticos e seja focada nos objetivos de sustentabilidade.

TE 118 - A Inteligência Artificial na Transição Climática.pdf

 

Data: 04-07-2023
Autor(es): Mariana Costa Santos
Ano: 2023

Na última década tem-se observado uma diminuição do impacto dos determinantes no crescimento da produtividade das economias avançadas. Enquanto o capital humano e o investimento têm aumentado, a produtividade tem apresentado crescimentos muito reduzidos.

Várias respostas ao paradoxo da produtividade têm sido avançadas, entre elas, que este abrandamento se deve ao tipo de áreas e propósitos em que o investimento é realizado. Recorrendo aos resultados do Inquérito sobre o Investimento do Banco Europeu de Investimento, este artigo pretende analisar, por um lado, a plausabilidade desse argumento, e por outro, as barreiras à decisão de investimento de longo-prazo.

 

TE 117_Paradoxo da produtividade na ótica do investimento empresarial.pdf

Data: 07-06-2023
Autor(es): Gabriel Osório de Barros e Inês Póvoa
Ano: 2023

O presente Tema Económico analisa a crescente importância do lítio para a transição climática e energética e a consequente pressão sobre os produtores para encontrar métodos mais eficientes e sustentáveis de exploração e reciclagem. O lítio, um componente crucial nas baterias de veículos elétricos e armazenamento de energia renovável, é apresentado como elemento-chave para a mitigação das alterações climáticas e a transição para fontes de energia mais limpas.

No entanto, a exploração de lítio também tem implicações ambientais consideráveis, incluindo poluição da água e do ar e a destruição de habitats naturais. Neste sentido, é imperativo o desenvolvimento de uma estratégia integrada que incorpore melhores práticas de mineração e reciclagem, legislação ambiental clara e assertiva, e investimento em Investigação e Desenvolvimento.

Conclui-se que a procura por lítio continuará a crescer, sublinhando a necessidade de uma gestão eficaz e sustentável deste recurso. Além disso, o papel crucial do lítio na transição energética exige estratégias robustas para garantir um fornecimento estável e sustentável, minimizando simultaneamente os impactos ambientais e promovendo a economia circular.

A implementação dessas estratégias deve estar alinhada com as iniciativas da União Europeia que visam promover a inovação, a sustentabilidade e a competitividade na indústria de baterias. Destaca-se a necessidade de uma abordagem integrada, adaptada às circunstâncias e capacidades específicas de cada Estado-Membro, para enfrentar os desafios associados à gestão do lítio na economia do futuro.

 

TE 116 - O Papel do Lítio na Transição Energética e Digital Oportunidades e Desafios para Portugal no contexto europeu.pdf

Data: 16-03-2023
Autor(es): Sílvia Gregório dos Santos
Ano: 2023

A digitalização permite potenciar a inovação, gerar eficiências económicas e ambientais e incrementar a produtividade. Esta já era uma realidade no setor do Turismo, sendo que a pandemia Covid-19 veio acelerar esta necessidade e revelar um leque de oportunidades para as empresas do setor, como o desenvolvimento de novos produtos e serviços, processos de gestão e comunicação, acessibilidade a novos mercados e a melhoria da experiência do turista.
Em Portugal, são vários os exemplos de iniciativas e medidas de política que têm permitido alavancar as atividades do Turismo cumprindo estes (novos) desafios. A chave do sucesso centra-se na colaboração estreita e em rede entre as empresas e entidades públicas e associativas, nomeadamente os centros de investigação, que potenciam a capacidade de inovação num dos principais setores da economia nacional.
O artigo pretende contribuir para uma reflexão sobre as tendências e as necessidades futuras do Turismo, nomeadamente em Portugal, bem como a apresentação de exemplos e boas práticas, num período em que a digitalização e a inovação são fatores cruciais para o objetivo da sustentabilidade, em linha com as agendas europeia e mundial.

 

GEE_TE_Inovação e Digitalização_Um caminho para a sustentabilidade_16032023 .pdf

Data: 19-01-2023
Autor(es): Gabriel Osório de Barros e Gonçalo Novo
Ano: 2023

O Alojamento Local (AL) é um tipo de alojamento que se baseia na oferta de quartos ou casas inteiras para hóspedes por períodos curtos (em particular turistas), geralmente por meio de plataformas online.

Este tipo de alojamento tem-se tornado cada vez mais popular em destinos turísticos, como Lisboa, pois permite aos proprietários de imóveis obter rendimentos adicionais e aos turistas ter experiências mais próximas da vida quotidiana e menos onerosas.

O AL pode ter impactos positivos nas cidades, como sejam oferecer um tipo de alojamento mais próximo das necessidades dos turistas, contribuir para o desenvolvimento económico local, gerar rendimentos para os proprietários de imóveis, criar oportunidades de emprego, ou promover a reabilitação dos imóveis.

No entanto, o AL também pode gerar impactos negativos, como a gentrificação ou a descaracterização dos bairros. Para minimizar estes impactos, os municípios podem implementar medidas de regulamentação e de contenção, como licenciamentos obrigatórios, quotas máximas de alojamentos e zonas de exclusão.

O presente Tema Económico constitui uma reflexão sobre os impactos, os desafios e as oportunidades do AL no Concelho de Lisboa, explorando a regulamentação e as políticas municipais, os benefícios e os riscos para a cidade e para os residentes, e a possibilidade de contribuição para o desenvolvimento social, económico e ambiental da cidade.

 

TE 114 - O Alojamento Local no Concelho de Lisboa.pdf